Espetáculos

O Princípio do Espanto

 

   “Quem, se eu gritasse,

   entre as Legiões dos Anjos me ouviria?

   E mesmo se, inesperadamente, um deles

   me acolhesse ao coração,

   eu sucumbiria perante sua existência mais forte.

   Pois o belo não é senão, o princípio do espanto

   que mal conseguimos suportar.

   E ainda assim o admiramos, pois,

   sereno, deixa de nos destruir.” 

 

   Rainer Maria Rilke

   Início das Elegias de Duíno

 




O Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do EspantoO Princípio do Espanto

Sinopse

Um boneco pensa conduzir os objetos e a vida à sua frente, mas nada sabe sobre o que está por detrás de si mesmo, nada sabe sobre o homem que é responsável por seu mais simples movimento.
Um homem crê controlar o boneco que construiu, mas compartilha com este a ignorância do que está por detrás de si próprio.
Criador e criatura em uma relação sem palavras.

Um boneco pensa conduzir os objetos e a vida à sua frente, mas nada sabe sobre o que está por detrás de si mesmo, nada sabe sobre o homem que é responsável por seu mais simples movimento.
Um homem crê controlar o boneco que construiu, mas compartilha com este a ignorância do que está por detrás de si próprio.
Criador e criatura em uma relação sem palavras.

Concepção Cênica e Pesquisa de Linguagem

Concepção cênica e pesquisa de linguagem
Em ‘‘O Principio do Espanto’’, João Araujo iniciou uma pesquisa prática que se mostrou
muito interessante com um boneco de balcão. Ao utilizar sua boca para obter o
controle da cabeça, no intuito de deixar suas mãos livres para comandar mãos e pés da
figura, chegou à questão que se tornaria então vital para a concepção da dramaturgia
do espetáculo: Ao utilizar a sua boca para a animação da cabeça do personagem, criou
uma imagem muito rica que, por sua concepção física, o remeteu à imagem poética
do “sopro divino”.
É o momento mágico em que o criador assopra a vida para dentro da criatura, citado
na Bíblia. Esta relação, assim, acabaria por criar e determinar a relação base entre criador
/ criatura (manipulador / boneco), e que encontrou, ainda, em trechos do poema
‘Elegias de Duíno’, de Rainer Maria Rilke, a direta ressonância com a obra e, por assim
dizer, o caminho poético da concepção.
Usar as limitações como estímulo criativo.
O trabalho com as limitações pode ser um potente ponto de partida para a criação da
dramaturgia cênica, neste caso o ator ao tentar ele somente conduzir um boneco de
manipulação direta (técnica do teatro de animação em que o boneco é conduzido sem
a utilização de fios ou varas) uma técnica que geralmente se utiliza de três manipuladores
por boneco, irá deparar-se com uma série de obstáculos. A superação desses
obstáculos pode levar ao desenvolvimento de novas formas de construção do boneco,
variando o formato das articulações, maneiras de segurá-lo e construindo na figura,
pesos e tamanhos que possam se adequar às suas necessidades.
O próprio exercício da manipulação precisa ser revisto, buscando novos entendimentos
da ação da gravidade, do peso e do deslocamento não só do corpo do boneco
como o do próprio ator. Dentro destes limites impostos pela técnica e pela escolha
da linguagem, o ator encontra-se livre para criar sua maneira de relacionar-se com o
objeto e a partir disto encontrar imagens para alimentar o processo de trabalho, da
dramaturgia do espetáculo.

Em ‘‘O Principio do Espanto’’, João Araujo iniciou uma pesquisa prática que se mostrou muito interessante com um boneco de balcão. Ao utilizar sua boca para obter ocontrole da cabeça, no intuito de deixar suas mãos livres para comandar mãos e pés dafigura, chegou à questão que se tornaria então vital para a concepção da dramaturgiado espetáculo: Ao utilizar a sua boca para a animação da cabeça do personagem, criou uma imagem muito rica que, por sua concepção física, o remeteu à imagem poéticado “sopro divino”.

É o momento mágico em que o criador assopra a vida para dentro da criatura, citadona Bíblia. Esta relação, assim, acabaria por criar e determinar a relação base entre criador/ criatura (manipulador / boneco), e que encontrou, ainda, em trechos do poema‘Elegias de Duíno’, de Rainer Maria Rilke, a direta ressonância com a obra e, por assimdizer, o caminho poético da concepção.

Usar as limitações como estímulo criativo.

O trabalho com as limitações pode ser um potente ponto de partida para a criação dadramaturgia cênica, neste caso o ator ao tentar ele somente conduzir um boneco demanipulação direta (técnica do teatro de animação em que o boneco é conduzido sema utilização de fios ou varas) uma técnica que geralmente se utiliza de três manipuladorespor boneco, irá deparar-se com uma série de obstáculos. A superação dessesobstáculos pode levar ao desenvolvimento de novas formas de construção do boneco,variando o formato das articulações, maneiras de segurá-lo e construindo na figura,pesos e tamanhos que possam se adequar às suas necessidades.

O próprio exercício da manipulação precisa ser revisto, buscando novos entendimentosda ação da gravidade, do peso e do deslocamento não só do corpo do bonecocomo o do próprio ator. Dentro destes limites impostos pela técnica e pela escolhada linguagem, o ator encontra-se livre para criar sua maneira de relacionar-se com o objeto e a partir disto encontrar imagens para alimentar o processo de trabalho, da dramaturgia do espetáculo.

Currículo dos Integrantes

 

D.R.T N° 17900/SP
Fundador do grupo Morpheus Teatro (2002)
CURSOS/TREINAMENTOS: Treinamento de Máscaras com Daniela Biancardi (2013), Curso de Palhaço com Ésio Magalhães (2012) | Curso Regular de Mímica com Luis Louis (2009, 2010 e 2011) | Taller Retiro 2011 com Sergio Mercurio (Argentina - 2011) | Actuación con Máscaras com Marcela Cornejo (Chile - 2011) | Mímica Corporal Dramática com Thomas Leabhart (2010) | Véu e Máscara Neutra com André Capuano (2009) | Criação e Jogo com Raquel Scotti Hirson (2009) | Oficinas de Clown com Bete Dorgan, Cristiane Paoli Quito e Silvia Leblon | Teatro Dança com Renata Melo, Adriana Grechi, Ricardo Iazzetta, Key Sawao e Wellington Duarte | Dramaturgia no Teatro de Animação com Henrique Sitchin, Máximo Shuster e Maurício Kartun
DIREÇÃO: O Princípio do Espanto (2002) | Pequenas Coisas (2009) | Vai Passar (2013)
ATOR: Vai Passar (2013) | Pés Descalços (2010) | Pequenas Coisas (2009) | O Princípio do Espanto (2002) | Contar Até 10 (2002) | O Senhor dos Sonhos (2000) | Cidade Azul (2000) | O Poema do Lixo (1998).
MINISTRANTE DA OFICINA “A PRESENÇA DO ATOR NO TEATRO DE ANIMAÇÃO” - HISTÓRICO: Taquarituba/SP Projeto “Mosaico na Estrada” (2013) | São Sebastião/SP Projeto Circo Navegador “Histórias pra Embrulhar Peixe” | Campo Limpo/SP CITA – Centro de Investigação Teatral Artemanha (2013) | Santiago/Chile “LA REBELIÓN DE LOS MUÑECOS” (2012) | São Sebastião/SP (2012 e 2011) | Ilhabela/SP (2012) | Suzano/SP (2012) | Paraguaçu Paulista/SP (2012 e 2011) | Tupã/SP (2012) | Tarumã/SP (2012 e 2011) | Valparaiso/Chile (2011) | Iguape/SP (2010) | Registro/SP (2010) | São Simão/SP (2010) | Campina do Monte Alegre/SP (2010) | Taquarituba/SP (2010) | SESC Pinheiros/SP (2009) | SESC Ribeirão Preto/SP (2009) | SESC Campos do Goytacazes/RJ (2008) | Brasília/DF (2007) | Olinda/PE (2007) | Caruaru/PE (2007) | Belo Jardim/PE (2007) | João Pessoa/PB (2007) | Campina Grande/PB (2007) | Belém/PA (2007) | São Bernardo do Campo/SP (2006) | CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS DO TEATRO DE ANIMAÇÃO/SP (2009 e 2004).

João Araujo
D.R.T N° 17900/SP
Fundador do grupo Morpheus Teatro (2002)

CURSOS/TREINAMENTOS: Treinamento de Máscaras com Daniela Biancardi (2013), Curso de Palhaço com Ésio Magalhães (2012) | Curso Regular de Mímica com Luis Louis (2009, 2010 e 2011) | Taller Retiro 2011 com Sergio Mercurio (Argentina - 2011) | Actuación con Máscaras com Marcela Cornejo (Chile - 2011) | Mímica Corporal Dramática com Thomas Leabhart (2010) | Véu e Máscara Neutra com André Capuano (2009) | Criação e Jogo com Raquel Scotti Hirson (2009) | Oficinas de Clown com Bete Dorgan, Cristiane Paoli Quito e Silvia Leblon | Teatro Dança com Renata Melo, Adriana Grechi, Ricardo Iazzetta, Key Sawao e Wellington Duarte | Dramaturgia no Teatro de Animação com Henrique Sitchin, Máximo Shuster e Maurício Kartun

DIREÇÃO: O Princípio do Espanto (2002) | Pequenas Coisas (2009) | Vai Passar (2013)

ATOR: Vai Passar (2013) | Pés Descalços (2010) | Pequenas Coisas (2009) | O Princípio do Espanto (2002) | Contar Até 10 (2002) | O Senhor dos Sonhos (2000) | Cidade Azul (2000) | O Poema do Lixo (1998).

MINISTRANTE DA OFICINA “A PRESENÇA DO ATOR NO TEATRO DE ANIMAÇÃO” - HISTÓRICO: Taquarituba/SP Projeto “Mosaico na Estrada” (2013) | São Sebastião/SP Projeto Circo Navegador “Histórias pra Embrulhar Peixe” | Campo Limpo/SP CITA – Centro de Investigação Teatral Artemanha (2013) | Santiago/Chile “LA REBELIÓN DE LOS MUÑECOS” (2012) | São Sebastião/SP (2012 e 2011) | Ilhabela/SP (2012) | Suzano/SP (2012) | Paraguaçu Paulista/SP (2012 e 2011) | Tupã/SP (2012) | Tarumã/SP (2012 e 2011) | Valparaiso/Chile (2011) | Iguape/SP (2010) | Registro/SP (2010) | São Simão/SP (2010) | Campina do Monte Alegre/SP (2010) | Taquarituba/SP (2010) | SESC Pinheiros/SP (2009) | SESC Ribeirão Preto/SP (2009) | SESC Campos do Goytacazes/RJ (2008) | Brasília/DF (2007) | Olinda/PE (2007) | Caruaru/PE (2007) | Belo Jardim/PE (2007) | João Pessoa/PB (2007) | Campina Grande/PB (2007) | Belém/PA (2007) | São Bernardo do Campo/SP (2006) | CENTRO DE ESTUDOS E PRÁTICAS DO TEATRO DE ANIMAÇÃO/SP (2009 e 2004).

 

Dalmir Rogério
D.R.T N° 28135/SP

Cenógrafo e figurinista, integrante do grupo Morpheus Teatro (desde 2011) e da Cia Truks de Teatro de Bonecos (desde 2009) na função de design de cena e operador técnico. Doutorando em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (CAC- ECA-USP) onde desenvolve a pesquisa: O Traje de Cena no Teatro de Bonecos: Estudos a Partir de Gira mundo e Royal de Luxe. Mestre em Artes Cênicas (CAC- ECA-USP, defesa em setembro de 2012) onde desenvolveu pesquisa acerca da relação figurino/moda sob a orientação do Prof. Dr. Fausto R. P. Viana. Estudou Artes Cênicas: Ramo- Design de Cena na Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTEC- Lisboa, Portugal. 2008) e estagiou em cenografia, figurino e confecção de marionetes sob a orientação de José Carlos Barros na Companhia Criadores de Imagens Lisboa, que visa à intervenção em espaços públicos em performances teatrais voltadas a manifestações populares do povo português, a partir da criação e confecção de carros alegóricos, figurinos e bonecos e que participa anualmente do encontro internacional de marionetes (Espanha). Desta forma vivenciou a criação cenográfica, bonecos e trajes de cena a partir na manipulação de diversos materiais como: argila, metais, espumas, madeiras, tecidos entre outro. Participou de oficinas voltadas ao universo da indumentária como: Poética da Destruição, ministrada por Renato Bolelli ex-integrante do Grupo de Teatro IX (2009). O Brasil Profundo por Gabriel Villela (2010). Trajes Costurados com Jum Nakao; Ronaldo Fraga; Fernanda Yamamoto e Augustina Comas (2010), Modelagens e Criação de Trajes em Cena (Prof. Doutor Fausto Viana, Prof. Doutora Isabel Cristina e Prof.Grahan Cottenden da Arts University Collage at Bournemouth, (CAC, ECA, USP) entre outros. Recentemente participou do Colóquio de Moda (São Paulo, Brasil) em 2010 com a públicação do artigo: A criação de figurinos por Gabriel Villela - um estudo de caso e com o artigo Ensaiando sobre moda em 2011(Maringá, Brasil) e Ensaio Sobre Traje de Cena em 2012 (Rio de Janeiro, Brasil), período em que publicou em Diário dos Pesquisadores o artigo Ensaio sobre traje de Cena e Moda (orgs: Fausto Viana E Rosane Muniz), pela editora companhia das Letras e Cores (2012), assim como a publicação e apresentação do artigo sobre Traje de cena e Moda em Ronaldo Fraga: Um estodo de Caso acerca do desfile nara Leão (Colóquio Internacional de Moda e Design-CIMODE, Guimarães, Portugal. 2012). Foi responsável junto ao Professor Doutor Fausto Viana pela criação e concepção do Stand das Escolas no evento de cenográfia e arquitetura Quadrienal de Praga (Praga, 2011). 

Especificações Técnicas

palco TIPO ITALIANO OU SEMI ARENA | são necessários FUNDO NEGRO e BLACKOUT TOTAL
número de pessoas da equipe morpheus teatro que viajam com o espetáculo DUAS PESSOAS
nome completo JOÃO DA SILVA ARAUJO | nome artístico JOÃO ARAUJO
função DIRETOR, AUTOR E ATOR | DRT 17900 RG 26681945-X | CPF 307641958-75 | NASC. 13/01/1975
nome completo DALMIR ROGÉRIO PEREIRA | nome artístico DALMIR ROGÉRIO
função OPERADOR DE SOM E LUZ | DRT 28135 RG 30368546-3 | CPF 283482748-63| NASC. 13/09/1977
necessidades de som PA MÍNIMO DE DUAS CAIXAS DE SOM COM AMPLIFICAÇÃO ADEQUADAS PARA O LOCAL DE APRESENTAÇÃO | NÃO É NECESSÁRIO RETORNO
o grupo levará para a apresentação UM APARELHO DE USB PLAYER SKP BIVOLT e UM MICROFONE DE LAPELA SHURE 110V
necessidades de iluminação 4 REFLETORES PC 1000W 2 REFLETORES SET LIGHT 1000W | 8 REFLETORES ELLIPSOIDAL 1000W 12 REFLETORES PAR 64 1000W FOCO 5 | 2 REFLETORES PAR 64 1000W FOCO 2
O GRUPO TRARÁ SUAS PRÓPRIAS GELATINAS

dados fiscais | razão social COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO
CNPJ 51561819/0001-69 | CCM 8483332-7 | inscrição estadual ISENTA
ramo de atividade PRODUÇÃO TEATRAL
endereço PRAÇA DOM JOSÉ GASPAR, 30 | 4º ANDAR SÃO PAULO | SP | CEP 01047-010 | TEL 11 21174700 | central@cooperativadeteatro.com.br

Prêmios e mostras internacionais

 

Com a peça O Princípio do Espanto
Participou em março e abril de 2014 do “XXIII FESTIVAL INTERNACIONAL DE TÍTERES LA FANFARRIA”
- em Medellín, Colômbia.
Em maio de 2012 participou do festival “LA REBELIÓN DE LOS MUÑECOS” - no Chile. Circulando
pelas seguintes cidades chilenas: Santiago, Punta Arenas, Linares, Molina e San Xavier.
Em fevereiro de 2012 participou do projeto “REDE SESC DE TEATROS” circulando pelas Cidades
de Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Lages, Chapecó e Criciúma.
Participou em setembro de 2011 do “ANIMATE 2011 – 3º ENCUENTRO INTERNACIONAL DE TÍ-
TERES” – em Valparaiso, Chile.
Contemplado em 2010 com o ProAc nº 2 “CONCURSO DE DIFUSÃO E CIRCULAÇÃO DE ESPETÁ-
CULO DE TEATRO NO ESTADO DE SÃO PAULO”.
Em fevereiro de 2008 obteve Medalha de Ouro como melhor performer para o ator João Araujo
no “THE FIRST INTERNATIONAL MARIONETTE FESTIVAL” em Hanói, Vietnã.
Prêmio de Melhor Ator no “III FESTCAL – Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo” – 2008.
Em 2007, foi contemplado pelo projeto CARAVANA FUNARTE PETROBRAS DE CIRCULAÇÃO NACIONAL,
fazendo apresentações e oficinas de Teatro de Animação ministradas por João Araujo
em dez cidades do Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.
Em 2007 apresentou-se nas cidades Argentinas de Buenos Aires, Lanus e Banfield.
Prêmio do Júri Popular de Melhor Espetáculo da Mostra Paralela no “11º FESTIVAL NACIONAL
DE TEATRO DE AMERICANA”.
Melhor Espetáculo Eleito pelo Júri Popular no “FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE BONECOS
DE BELO HORIZONTE FIT/B 2006”.
Em 2006 o espetáculo participou do “LAMBERT FESTIVAL PUPPET THEATRE” em Dublin, Irlanda.
Em 2005 participou do “INCANTI RASSEGNA INTERNAZIONALE DI TEATRO DI FIGURA - 12° EDIZIONE”,
na cidade de Torino, Itália.
Prêmio de Melhor Espetáculo Nacional no “FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE BONECOS
DE BELO HORIZONTE FIT/B 2004”.
Com a peça Pequenas Coisas
Prêmios de Melhor Espetáculo e Melhor Pesquisa na 2ª MOSTRA DE TEATRO DE JUNDIAÍ 2009.
Prêmios de Melhor Espetáculo, Melhor Atriz para Verônica Gerchman e Ator Revelação para
Yuri De Franco no X FETEAPP FESTIVAL DE TEATRO DE PARAGUAÇU PAULISTA 2011.
SESI - Viagem Teatral 2011 – temporada de julho a dezembro de 2011
Com a peça Pés Descalços
PRÊMIO FUNARTE DE TEATRO MYRIANM MUNIZ 2009
ProAc 2011– Programa de Difusão e Circulação de Espetáculo Teatral

Com a peça O Princípio do Espanto

Participou em março e abril de 2014 do “XXIII FESTIVAL INTERNACIONAL DE TÍTERES LA FANFARRIA”- em Medellín, Colômbia.
Em maio de 2012 participou do festival “LA REBELIÓN DE LOS MUÑECOS” - no Chile. Circulandopelas seguintes cidades chilenas: Santiago, Punta Arenas, Linares, Molina e San Xavier.
Em fevereiro de 2012 participou do projeto “REDE SESC DE TEATROS” circulando pelas Cidadesde Florianópolis, Joinville, Jaraguá do Sul, Lages, Chapecó e Criciúma.
Participou em setembro de 2011 do “ANIMATE 2011 – 3º ENCUENTRO INTERNACIONAL DE TÍ-TERES” – em Valparaiso, Chile.
Contemplado em 2010 com o ProAc nº 2 “CONCURSO DE DIFUSÃO E CIRCULAÇÃO DE ESPETÁ-CULO DE TEATRO NO ESTADO DE SÃO PAULO”.
Em fevereiro de 2008 obteve Medalha de Ouro como melhor performer para o ator João Araujono “THE FIRST INTERNATIONAL MARIONETTE FESTIVAL” em Hanói, Vietnã.
Prêmio de Melhor Ator no “III FESTCAL – Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo” – 2008.
Em 2007, foi contemplado pelo projeto CARAVANA FUNARTE PETROBRAS DE CIRCULAÇÃO NACIONAL,fazendo apresentações e oficinas de Teatro de Animação em dez cidades do Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.
Em 2007 apresentou-se nas cidades Argentinas de Buenos Aires, Lanus e Banfield.
Prêmio do Júri Popular de Melhor Espetáculo da Mostra Paralela no “11º FESTIVAL NACIONALDE TEATRO DE AMERICANA”.
Melhor Espetáculo Eleito pelo Júri Popular no “FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE BONECOSDE BELO HORIZONTE FIT/B 2006”.
Em 2006 o espetáculo participou do “LAMBERT FESTIVAL PUPPET THEATRE” em Dublin, Irlanda.
Em 2005 participou do “INCANTI RASSEGNA INTERNAZIONALE DI TEATRO DI FIGURA - 12° EDIZIONE”,na cidade de Torino, Itália.
Prêmio de Melhor Espetáculo Nacional no “FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE BONECOSDE BELO HORIZONTE FIT/B 2004”.

Com a peça Pequenas Coisas

Prêmios de Melhor Espetáculo e Melhor Pesquisa na 2ª MOSTRA DE TEATRO DE JUNDIAÍ 2009.
Prêmios de Melhor Espetáculo, Melhor Atriz para Verônica Gerchman e Ator Revelação para Yuri De Franco no X FETEAPP FESTIVAL DE TEATRO DE PARAGUAÇU PAULISTA 2011.
SESI - Viagem Teatral 2011 – temporada de julho a dezembro de 2011

Com a peça Pés Descalços

PRÊMIO FUNARTE DE TEATRO MYRIANM MUNIZ 2009
ProAc 2011– Programa de Difusão e Circulação de Espetáculo Teatral

Ficha Técnica

criação e atuação  JOÃO ARAUJO
operador de som e luz  DALMIR ROGÉRIO
cenário, adereços, figurinos e construção de bonecos  JOÃO ARAUJO
músicas - domínio Público – selecionadas por  JOÃO ARAUJO
gênero   COMÉDIA DRAMÁTICA
duração  55 MINUTOS
público recomendado  ADULTOS E JOVENS (14 ANOS)
produção  MORPHEUS TEATRO DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO
contatos  5511 97145 0478
e-mail   morpheusteatro@hotmail.com


<< voltar
© 2009 Morpheus Teatro - Todos os direitos reservados • Criação de Sites : Trupe