Espetáculos

VAI PASSAR

 

 

 

          Vai Passar. Condição humana. Somos transeuntes, passantes, efêmeros.

          Por mais que desejemos o controle, ou ao menos a sensação de segurança que ele nos proporciona, a vida sempre nos surpreende, nos fricciona, nos movimenta e mostra outros caminhos.

          O medo paralisa. E de tão inteligente que é, se veste de justificativas e argumentos, e se torna carcereiro da vontade de ser pleno, entregue à vida. 

          Vai passar. A fobia, as obsessões, a solidão, a rotina massacrante, a espera de alguém que nunca chega, a dor, o medo da velhice e da morte.

           E o medo da vida. Vai passar.

 




VAI PASSARVAI PASSARVAI PASSARVAI PASSARVAI PASSAR

Sinopse

Vai Passar fala de momentos da vida em que somos tomados por sensações e sentimentos que não podemos controlar, aqueles que nos pegam de surpresa, nos tiram do chão e nos colocam, por um instante, totalmente desarmados diante das nossas angústias, dos desejos da alma, do medo da morte e da vida. Mas suspeita-se de que tudo vaipassar, a seu tempo e a seu modo. Ficarão a amizade, a libertação,a cumplicidade e tudo aquilo que nos faz sentir humanamente plenos, e que nos dá força para seguir em frente.

Concepção Cênica e Pesquisa de Linguagem

A partir do uso das linguagens das máscaras, da mímica e do teatro de bonecos, o espetáculo passeia ora pelo humor, ora pela poesia. Estruturado por esquetes, narra, de maneira extracotidiana, situações do dia a dia. Pequenas histórias como: a menina que espera o pai ir buscá-la na escola,mas ele sempre se atrasa; o casal cheio de manias; a mulher que precisa partir; o homem que se vê preso a um universo, cada vez menor, que ele mesmo criou; as amigas de longa data e a partida dos amigos de uma vida inteira.

Vai Passar aposta na sensibilidade e busca metáforas através do jogo cênico, da trilha sonora composta para o espetáculo e do encontro com a plateia.

Ficha Técnica

 

direção JOÃO ARAUJO
autoria e atuação VERÔNICA GERCHMAN, PATRICIA GALLETO e JOÃO ARAUJO
figurinos DALMIR ROGÉRIO
músicas compostas MATEUS PIRES
cenário DALMIR ROGÉRIO e JOÃO ARAUJO
confecção de bonecos e máscaras MORPHEUS TEATRO
pintura de bonecos e máscaras SÉRGIO CÂNDIDO
iluminação JOÃO ARAUJO
fotos SÉRGIO CÂNDIDO, KARIM SAURO e JOÃO ARAUJO
vozes SAMUEL GERCHMAN ARAUJO, GABRIEL SITCHIN, ANNA MARIA MAIOLINO, KARIM SAURO, MATEUS PIRES, VERÔNICA GERCHMAN, PATRICIA GALETO e JOÃO ARAUJO
costureira DENISE FRANÇA
produção MORPHEUS TEATRO
DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO

direção JOÃO ARAUJO
autoria e atuação VERÔNICA GERCHMAN, PATRICIA GALLETO e JOÃO ARAUJO
figurinos DALMIR ROGÉRIO
músicas compostas MATEUS PIRES
cenário DALMIR ROGÉRIO e JOÃO ARAUJO
confecção de bonecos e máscaras MORPHEUS TEATRO
pintura de bonecos e máscaras SÉRGIO CÂNDIDO
iluminação JOÃO ARAUJO
vozes SAMUEL GERCHMAN ARAUJO, GABRIEL SITCHIN, ANNA MARIA MAIOLINO, KARIM SAURO, MATEUS PIRES, VERÔNICA GERCHMAN, PATRICIA GALETO e JOÃO ARAUJO
costureira DENISE FRANÇA
produção MORPHEUS TEATRO DA COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO

Currículo dos Integrantes

Verônica Gerchman

Atriz bonequeira, atuando profissionalmente no Teatro de Animação desde 1983. Em SP criou o Teatro Rabistreco, que em dez anos de apresentações, entre 1985 e 1995, realizou cerca de 1200 apresentações profissionais.

Co-fundadora da Cia. Truks, em 1990.

Realizou cursos e oficinas de teatro e teatro de bonecos com destaque para:

"A Energia Expressiva do Teatro de Animação" com o inglês Stephen Mottran, "Quem Anima quem?" com o espanhol Jordi Bertrand, “La Poética de La Cosa”, de Maurício Kartun, “Dramaturgia e Interpretação no Teatro de Animação” com Hector Girondo, da Argentina, “Bonecos de Luva Chineses”, com Yang Feng.   Participou de dezenas de festivais de teatro de bonecos, no Brasil e exterior, com destaque para o 10º Festival Mundial de Teatro de Marionetes de Charleville, na França, em 1994.

Cursou Musicoterapia pela faculdade Marcelo Tupinambá de SP.  Atuou em todas as montagens da Cia. Truks, entre as quais: ‘Truks: A Bruxinha’, ‘O Aprendiz’, ‘O Senhor dos Sonhos’, ‘Cidade Azul’, ‘Contar até Dez’, ‘Vovô’ e ‘Big Bang’.  Indicada, em 1999, ao Prêmio Coca Cola de Teatro Jovem na Categoria ‘Melhor Atriz’, pela manipulação do boneco Lucas, de forma inédita a uma atriz bonequeira, oculta atrás de seu boneco, em SP.

Co-autora dos espetáculos ‘O Senhor dos Sonhos’, ‘Contar até 10’ e ‘Big Bang’, todos da Cia Truks, e responsável pelos projetos e execuções dos bonecos, cenários e adereços da companhia.  Foi responsável, com Henrique Sitchin, pela produção executiva da Cia. Truks.

Diretora e co-autora dos espetáculos ‘Zôo-ilógico’ e ‘Inzôonia’, da Cia. Teatro das Coisas  Diretora de animação do espetáculo ‘Isto não é um Cachimbo’, da Cia Truks.

Atual atriz, criadora e produtora executiva do grupo Morpheus Teatro.

 

João Araujo

Desde o ano de 1997, o diretor e ator-bonequeiro, João Araujo, tem dedicado sua pesquisa teatral às relações entre homem e boneco, entre o teatro de ator e o teatro de animação.

Em março de 1997, iniciou seu trabalho com o teatro de bonecos na peça ‘O Poema do Lixo’, dirigido por Daisy Nery.

Entre julho de 2000 e agosto de 2004 fez parte do elenco da Cia. Truks Teatro de Bonecos atuando nos espetáculos ‘O Senhor dos Sonhos’, ‘A Cidade Azul’ e ‘Contar Até Dez’, trabalhando também na construção e manutenção de bonecos e cenários da companhia.

Durante este período, iniciou sua pesquisa solo de teatro de animação tendo como resultado o espetáculo ‘O Princípio do Espanto’. Fundou em 2002 o grupo Morpheus Teatro. Com ‘O Princípio do Espanto’ ganhou os seguintes prêmios:

- Medalha de Ouro no ‘The First International Marionette Festival’ em Hanói, Vietnã, em fevereiro de 2008.

- Prêmio de Melhor Espetáculo Nacional no Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Belo Horizonte FIT/B 2004

- Melhor Espetáculo Eleito pelo Júri Popular no Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Belo Horizonte FIT/B 2006.

- Prêmio do Júri Popular de Melhor Espetáculo da Mostra Paralela no 11º Festival Nacional de Teatro de Americana 2007.

- Prêmio de Melhor Ator para João Araujo no III FESTCAL – Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo – 2008

- Em 2005 participou do ‘INCANTI RASSEGNA INTERNAZIONALE DI TEATRO DI FIGURA’ - 12° Edizione, na cidade de Torino, Itália.

- Em 2006 o espetáculo representou o Brasil no ‘LAMBERT FESTIVAL PUPPET THEATRE’ em Dublin, Irlanda.

- Em 2007, ‘O Princípio do Espanto’ foi contemplado pelo projeto Caravana Funarte Petrobras de Circulação Nacional, fazendo apresentações e ministrando a oficina ‘A Presença do Ator no Teatro de Animação’ em dez cidades do Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.

- Participou, em 2007, de diversos festivais e mostras pelo território brasileiro e nas cidades Argentinas de Buenos Aires, Lanus e Banfield.

 

Patricia Galleto

Iniciou seus estudos em teatro em 2006, na Escola de Teatro e Dança Fafi, em Vitória, Espírito Santo. No ano de 2007, ingressou no curso de Qualificação Profissional para Ator, nesse mesmo centro de ensino, o qual cursou por dois anos. Nesse período, montou e apresentou o monólogo “Entrevista de Emprego”, dirigido por Márcio Martins, e os espetáculos “Auto de São Pedro” e “Machado, o Canário e o Almirante”, ambos dirigidos por Renato Saudino. 

Também em 2007, graduou-se em Comunicação Social/Jornalismo, pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Dois anos depois, se mudou para São Paulo, onde iniciou sua pesquisa sobre as relações entre Teatro Físico e Comunicação, publicada em forma de artigo científico, como conclusão de sua pós-graduação em Mídia, Informação e Cultura, pela Universidade de São Paulo (Usp).

Na capital paulista, se dedicou a cursos livres que iam ao encontro de sua inclinação a trabalhar fundamentalmente com o corpo no teatro, entre os quais se destaca o curso extensivo de dois anos de Mímica Total e Teatro Físico, ministrado por Luis Louis, com quem também estudou no Laboratório de Pesquisa e Criação por mais um ano. Ao longo dessa trajetória, criou quadros de Mímica solos e em grupo. Ainda em seu Estúdio, foi professora assistente de Carolina Bonfanti para o módulo de iniciantes.

Paralelamente, estudou Commedia dell’Arte com Fernando Vieira, e participou de diversos cursos e workshops, tendo estudado com Grace Passô, Fernanda Borges, Denise Namura, Henrique Sitchin, entre outros. Em 2011, foi para Barcelona, Catalúnia, onde cursou três meses de “Diplomatura em Mimo Corporal Dramático”, com o grupo Moveo, em sua escola internacional. Desde o início de 2012, tem se dedicado à pesquisa do Teatro de Bonecos, das Máscaras e da Mímica junto ao grupo Morpheus Teatro.


<< voltar
© 2009 Morpheus Teatro - Todos os direitos reservados • Criação de Sites : Trupe